Análise de Balanços e Valuation

Compartilhe:

Essa semana tem sido exaustiva quanto ao volume de balanços divulgados pelas empresas referentes ao 2T17. Analisar os balanços, ler as notas explicativas, ouvir as teleconferências é uma tarefa árdua, mas fornece subsídios para a tomada de decisão por parte do investidor.

Dois assuntos que alguns leitores já me abordaram e ainda não tive tempo de escrever é sobre os conhecimentos de contabilidade necessários para analisar um balanço e também como fazer o valuation de uma empresa. Dado a importância desses temas, convido o leitor a ouvir duas palestras ministradas por professores da Saint Paul Escola de Negócios, que é uma das melhores escolas para executivos do mundo.

Antes gostaria de realçar alguns itens abordados durante as palestras:

Análise de Balanços

  • Importância de entender o modelo de negócios para compreensão de um resultado;
  • O que é Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Balanço Patrimonial, Demonstração do Fluxo de Caixa e como eles conversam entre si;
  • Diferença entre EBITDA e Geração de Caixa Operacional;
  • Diferença de contabilidade entre os setores;

O link para acessar a palestra é: https://www.youtube.com/watch?v=QZJ80HjVQsc&feature=share

 

Valuation

  • Tipos de métodos de valuation;
  • Abordagem detalhada do método mais famoso: Fluxo de Caixa Descontado;
  • Metodologia secundária: comparativo entre empresas e transações realizadas no mesmo setor;
  • IPO’s;

O link para acessar a palestra é: https://www.youtube.com/watch?v=4TVvGQogYMQ

É possível perceber que prefiro utilizar as metodologias secundárias para avaliar uma empresa, ou seja, comparar os múltiplos com outras empresas do mesmo setor listadas em Bolsa e também avaliar a qual múltiplo são realizados os negócios do setor. Para quem investe em ações, observar os múltiplos históricos da empresa analisada pode ser de grande valia.

O Fluxo de Caixa Descontado é o método mais tradicional, mas considero muito difícil realizar projeções de uma empresa para um horizonte de cinco ou até dez anos, pois a grande maioria dos negócios conta com variáveis de alta imprevisibilidade. Resumindo, eu não o considero adequado para a minha realidade, mas é importante entender o seu funcionamento.

Compartilhe:
Paulo Garcia
Paulo Garcia
Me chamo Paulo Garcia, sou graduado em engenharia química e apaixonado pelo mercado financeiro. Essa paixão surgiu quando comecei a trabalhar em um fundo de investimento de ações em 2014. Eu acredito que investir em ações é a melhor forma de construir riqueza e patrimônio pensando sempre no longo prazo.

16 Comentários

  1. Rômulo Martins disse:

    Ensinando a pescar, ou surfar….

  2. Samuel Zimmer disse:

    Obrigado por compartilhar o excelente conteúdo Paulo!

  3. Tata disse:

    O que achou do resultado de POSI3?

    • Paulo Garcia disse:

      Olá, Tata.
      Achei de modo geral ruim. Dois pontos que me chamaram atenção negativamente: perda de share em smartphones e não redução do endividamento líquido (parece que não houve absorção de créditos tributários nesse trimestre).
      Abraço

  4. Rodrigo disse:

    Paulo, você é excelente. Gostou do resultado de JSLG3? Estamos juntos nessa.

    • Paulo Garcia disse:

      Obrigado, Rodrigo.
      Achei neutro. Confesso que esperava redução da dívida líquida já nesse trimestre, mas como houve muitos investimentos da Movida acabou não sendo possível. Lado bom é que a empresa voltou a reportar lucro, mesmo que em um nível tímido.
      Parte de alongamento das dívidas é bastante positivo, pois o setor é intensivo em capital e o reperfilamento da tranquilidade para o negócio rodar.
      Mercado precifica as operações ex-Movida valendo aproximadamente R$200mi e continuo acreditando que isso não faz sentido. Espero para o 2S17 queda do endividamento líquido da empresa, aumento do ROIC e também do lucro líquido, puxado principalmente pela queda das despesas financeiras (queda da SELIC).
      Abraço

      • Rodrigo disse:

        Pelo que observei no balanço, o grosso do investimento foi ano passado. Pela métrica do “lucro do proprietário”, se não errei os cálculos, a geração de caixa no semestre girou em torno de 260M. Se anualizarmos esse montante, observaremos uma geração de caixa colossal. Aumentei posição hoje. Fico aguardando seu estudo mais elaborado na empresa. Visito seu site diariamente. Parabéns!!

        • Paulo Garcia disse:

          Olá, Rodrigo.
          Em breve farei um post dedicado exclusivamente a ela.
          Na teleconferência os gestores confirmaram que esperam o menor capex líquido para esse ano desde o IPO, confirmando a tese que o maior volume de investimentos foi realizado nos últimos anos.
          Abraço

  5. Anderson Lulu disse:

    E aí Paulo, tudo bom? Leio todas as suas postagens, gosto do seu trabalho! E quanto as empresas de baixo valor de mercado, as Small Caps, o que você acha? Você não concorda que é mais rentável formatar um portfólio com small caps em vez de blue chips!? Um abraço!

    • Paulo Garcia disse:

      Olá, Anderson.
      Eu gosto bastante das small caps, inclusive a minha carteira é formada por bastantes empresas de baixa capitalização.
      Só para citar alguns exemplos: Grazziotin, Unipar, CR2, Sonae Sierra e Positivo.
      Normalmente há mais oportunidades nelas, pois o mercado costuma nem olhar esse tipo de empresa.
      Abraço

  6. Gutenberg disse:

    Olá Paulo,

    Ótimos links! Já estão na minha lista para assistir em breve.

    Sei que você já mencionou em outras postagens um pouco de como você pesquisa informações sobre as empresas, mas uma coisa que gostaria de saber é se você usa ou conhece alguma forma de obter dados históricos como o P/L das empresas listadas na bolsa brasileira. Busquei e encontrei tais informações para empresas americanas, mas não para as brasileiras. Por vezes avalio alguma empresa aqui e gostaria de poder fazer uma comparação mais detalhada com relação a seu histórico mas esbarro nessa falta de informação.

    Abs!

    • Paulo Garcia disse:

      Olá, Gutenberg.
      Infelizmente não conheço nenhuma ferramente gratuita que permite verificar esses dados históricos: P/L, EV/EBITDA.
      Seria ótimo se algum site disponibilizasse gratuitamente, pois ajudaria bastante os investidores.
      Algumas empresas disponibilizam esse tipo de informação na sua apresentação (Grendene, Braskem), mas as vezes é necessário fazer manualmente para ter uma ideia melhor dos múltiplos os quais ela costuma negociar.
      Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *